UOL Bate-papo

7.825 salas abertas pessoas online 391.250 lugares

Bate-papo com convidados

BATE-PAPO COM Valéria Baracat - 09/10/2009 às 17h00

Valéria Baracat

Depois de lutar contra o câncer de mama durante cinco anos, Valéria Baracat resolveu ajudar outras mulheres que passam pelo mesmo problema criando o Instituto Arte de Viver Bem, que tem como objetivos principais ajudar as mulheres na prevenção e especialmente na recuperação do câncer de mama. No mês de luta contra o câncer de mama, doença que afeta cerca de 50 mil mulheres por ano no Brasil, a jornalista e diretora-presidente da ONG esclarece dúvidas, dá dicas, conta sua história pessoal e divulga a primeira campanha nacional do IAVB.

  • Visite UOL Ciência e Saúde
  • Hábitos saudáveis podem reduzir risco de câncer de mama
  • Estrogênio ajuda no tratamento do câncer de mama, diz estudo
  • Saiba quais celebridades venceram a doença
  • Assista vídeos dedicados ao tema na TV UOL
  • Participaram do Bate-papo 212 pessoas


    (05:03:07) Valéria Baracat: Oi, Pessoal!

    (05:05:15) baby: qual conselho vc dá para quem está com cancer? como lidar emocionalmente com isso?

    (05:08:03) Valéria Baracat: eu construi o meu tratamento em cinco pilares, que me deram sustentação. 1- confiança em mim mesma, que ficaria curada. 2- família e amigos. A família te leva apra os exames, médicos, te dá suporte emocional. Pau pra toda obra. Os amigos te levam muito pra passear, se divertir, dão o ombro tb. 3- a fé e a medicina. Acreditar em Deus é a melhor coisa do mundo. O mesmo digo com relação aos médicos e tratamento. 4- a atividade física, que não te deixa em depressão dentro de casa. 5- trabalho, muito trabalho.

    (05:08:21) vilão: olá, valéria! tudo bom? gostaria de saber como e qdo vc soube que estava com câncer de mama. havia indicações ou foi num auto exame, exame preventivo?

    (05:11:14) Valéria Baracat: Foi em um exame de rotina, a mamografia, que é mais do que importante, é vital! Fazia regularmente. Tinha uma mama muito densa, com algumas coisinhas, mas todas benígnas. Quando vc tem algo, como uma mama densa, os médicos pedem mais controle. Foi o que aconteceu comigo. Não havia casos na família. Mas, um ano e meio antes do meu diagnósticos, o meu tio, irmão da minha mãe teve Ca de mama. Tb dá em homem. Hj vamos fazer um exame que, talvez, comprove a hereditariedade. Tudo aconteceu em junho de 2004.

    (05:12:11) mamelungo: qual o papel do homem em relação? como posso ajudar minha companheira ou uma parente?

    (05:15:09) Valéria Baracat: O homem é imprescindível. Muitos abandonam a mulher, o que é um erro. O Ca de mama tem cura, quando diagnosticado precocemente. O importante é tentar levantar a autoestima da mulher, levando-a para passear, nem que seja dar uma volta no shopping ou em um parque. O importante é deixá-la ter o tempo dela. Se ela tiver vontade chorar, não diga para que ela não o faça. Tem que chorar, tem que ficar triste, mas tem que ter o apoio, para superar. Seria muito estranho se uma mulher não chorasse. Ter o apoio incondicional do homem ou do parceiro, é ter 50% da cura garantida

    (05:15:25) clara: oi, valéria tudo bom? sabemos que grade parte dos cânceres não tem prevenção já que são doenças genéticas. mas a chance de cura é maior se houver prevenção e cuidado. no cado do cancer de mama, quais cuidados devemos ter?

    (05:17:20) Valéria Baracat: temos que ter vários cuidados para prevenir: não fumar não ingerir bebida alcóolica em demasia, a obesidade é um outro problema. Ter filho tardiamente ou não ter. Não amamentar é um problema. atividade física é muito importante para prevenção tb.

    (05:17:36) marcia: boa tarde, valéria! gostaria de saber como funciona o IAVB? oq vcs oferecem, como podemos ajudar e até se há médicos, pois sei que viveu a experiencia, mas não é médica, é?

    (05:19:52) Valéria Baracat: Tem um outro detalhe: a má alimentação tb é um outtro fator de risco. Não sou médica, mas tenho todo respaldo de grandes médicos do A.C Camargo, do Insituto do Cancer Octavio Frias de Oliveira, Perola Pyigton, Sirio Libanês, só para citar alguns, além de ter uma ginecologista, dra. Monica Leite Grinbaum, que é muito antenada. Ela é até meio psicóloga, o que é maravilhoso! O IAVB (Instituto Arte de Viver Bem) nasceu para organizar ações que eu e minha família já fazíamos há décadas. Com o meu histórico de CA de mama, resolvi abraçar esta causa tb. Hoje temos um site, que dá muita informação, além de ter lançado esta semana uma cartilha bem didática, que será distribuída pela secretaria da Saúde do Estado de São paulo para todos os hospitais da rede pública e particular que tenham setor de oncologia. Fiz uma parceria com o governo do Estado para ter mais força na distribuição, para que a informação chegue até quem precisa e muito, que são as classes D e E.

    (05:20:55) alê: o cancer pode dar dor?

    (05:24:52) Valéria Baracat: Normalmente, não. O Câncer é uma doença silenciosa. Quando vc sente uma dor é porque já cresceu bastante.

    (05:25:39) dourado: boa tarde,minha mae teve cancer de mama e morreu apos tratamento que incluiu radio, quimio e retirada do seio. Houve na sua opinião alguma falha no tratamento dela? me esclareça por favor.

    (05:27:30) Valéria Baracat: Não necessariamente. Pra gente analisar, sem um histórico, fica difícil. Nem mesmo um médico o faria sem analisar profundamente todo o histórico dela. Acho importante que vcs, da família, passem a fazer comtrole, sem falhar em nenhum. Hoje toda a minha família faz regurmente a mamografia e o ultrassom.

    (05:27:43) jujuba: oi, valéria! tudo bom? gostaria que contasse um pouco da sua história... vc contou como descobriu. e oq mudou na sua vida após isso? como conseguiu lidar? etc

    (05:31:20) Valéria Baracat: É uma barra! Estaria mentindo se tentasse convencê-los que é fácil. Seria mentirosa. Vc pensa em muitas coisas. Se naquela época, eu já fazia muita coisa para o terceiro setor, hoje, dedico oito horas do meu dia ao projeto, em dias normais. Que hora eu durmo? Nem eu sei direito. Vale a pena ajudar quem tanto precisa, pq a vida só vale quando vc faz algo pelo seu próximo. Ter uma vida vazia, nunca foi comigo. Depois de seis cirurgias, sendo três só de mama, vejo que a vida vale muito quando vc se doa para os que não tem condições para nada. Virou uma bandeira ajudar as mulheres que passam até por discriminação no mercado de trabalho durante o tratamento.

    (05:31:22) CECI: Boa tarde Valéria. Tenho cancer de mama e terminei uma série de oito quimioterapias, estou prestes a realizar uma mastectomia e gostaria de saber, pela sua experiência, como a maioria das mulheres reage após a realização da cirurgia

    (05:35:11) Valéria Baracat: A minha terceira cirurgia de mama foi a adenomastectomia, ou seja, retirada total, com reconstrução imediata. Segurei firme a cabeça com muita atividade física. Entenda: o mundo não vai acabar por isto. Hj a medicina está muito avançada e o Ca de mama tem cura, o que é maravilhoso. Tem muita gente que reclama que não tem grana para pagar uma academia. Pois bem, o melhor exercício físico é grátis: a caminhada. A atividade física libera a serotonina e a endorfina, importantes para a sensação de prazer, bem-estar, a felicidade. Se vc fizer uma caminhada de 40 min/dia, vc não vai ter depressão. Vai resgatar a sua autoestima e qualidade de vida.

    (05:35:23) joão: eu não sabia que homens também poderiam ter cancer de mama! é mais raro?

    (05:36:04) Valéria Baracat: É muito raro! Mas tem. Olham aí, rapazes! Tem que apalpar as mamas.. rs...

    (05:36:12) Jooh: Quanto tempo leva para o Cancer estar 100% curado?

    (05:38:17) Valéria Baracat: São, no mínimo, cinco anos de muito controle e um remédio que eu tomava até o final de julho. Veja bem, o controle é para o resto da vida, assim como quem tem pressão alta, diabetes, etc.. Amo a vida, portanto, vou continuar de olhos bem abertos nas minhas mamas, fazendo o controle a cada seis meses, mesmo que os médicos mandem eu fazer a cada ano.

    (05:38:39) prika: dizem que a mulher q amamenta tem menos risco de ter cancer de mama, é verdade?

    (05:40:37) Valéria Baracat: A mulher que amamenta jovem, que tem filhos na casa dos 20 e poucos anos, tem menos chances de controir a doença. Mas se ela tiver com uma idade mais avançada, e amamentar com 35 a 40 anos, não serve como prevenção. Ela vai correr o mesmo risco que todas. Amamentar é muito importante qaundo jovem.

    (05:40:47) Maria: Valéria, vi que você mencionou acima a discriminação no mercado de trabalho, sou funcionária pública e tenho faltado para fazer os exames iniciais, ultrassom etc, e tenho sofrido com esse tipo de discriminação no trabalho, recentemente fiquei de férias e consegui fazer exames e marcar consultas, mas sempre há outro exame para fazer, para continuar com o diagnóstico e tenho sofrido discriminação por causa das faltas ao trabalho, até passei a trabalhar aos finais de semana para cobrir as faltas ao trabalho nos dias úteis. Que sugestão você tem para essa situação?

    (05:43:05) Valéria Baracat: Consulte um advogado. A OAB tem excelentes profissionais que podem orientá-la. A lei é clara, qeu vc tem direito ao tratamento. No Brasil a saúde é universal, ou seja, todos nós temos direito a saúde, inclusive, aos medicamentos pagos pelo governos. Eles não têm como reclamar. Vc tem direito a vida.

    (05:43:40) Stasiak: Primeiro de tudo, parabéns pela sua história de vitória, tenho uma grande amiga que descobriu um câncer de mama há pouco tempo, você citou 5 pilares, ela não tem o principal... fé e força em si mesma, o que dizer à ela? não sei mais como dar mais força ainda p/ ela

    (05:45:53) Valéria Baracat: Leve-a para passear, caminhar. Se ela fizer atividade física, tenho certeza, que a recuperação virá mais rápido do que vcs imaginam. O duro, muitas vezes, é tirar as pessoas de casa, mas com um pouquinho de jeito, a gente consegue. Fiz isto com várias amigas, no que deu resultado. Acho que ficar dentro de casa, só dá depressão. A gente só pensa em besteira, fica alimentando a doença. Bobagem! Tire-a de casa.

    (05:45:59) ambcoelho: tenho 42 anos, tive uma gravidez aos 28 e agora outra aos 40 anos, não fumo, não bebo, estou acima do peso, Estou no grupo de risco?

    (05:48:17) Valéria Baracat: Precisamente, não sei te dizer, já que não sou médica. Mas pelo seu histórico, vc sai um pouco fora, pois teve filho cedo. Deve ter amamentado, assim evitando entrar no grupo de risco. Controle é sempre importante. Acho importante tb para vc caminhar regularmente. Vai perder peso, se sentir mais saudável e ter mais disposição para fazer tudo na vida.

    (05:48:48) Gei: Boa Tarde... E verdade que a a mamografia em mulheres abaixo dos 40 anos nao e eficaz? estou com um grande nodulo no seio que incha as vezes e doi tb minha medica me receitou vitamina e. Sera que preciso fazer outros exames o que me sugere

    (05:51:24) Valéria Baracat: Eu sempre consultei mais do que um médico, quando tinha dúvida. Eles não ficam chateados, já que é um procedimento normal. No seu lugar, como fiz, eu consultaria mais um especialista para tirar a dúvida. Isto é comum. Todo mundo faz. Não é pra ficar alarmada, de jeito nenhum, mas pense em conversar com outro profissional. A gente na dúvida de uma roupa, não vai a mais lojas? Por que não fazer isto com o próprio corpo?

    (05:51:32) Lara: Olá Valéria! Minha mãe teve Ca de mama. Primeiro passou pela mastectomia (acho que escreve assim né?), depois 8 sessões de quimio e agora está finalizando 25 sessões de radio. O médico disse que ela está bem e livre, graças a Deus. Mas, ainda fico em dúvida. Até que ponto ela está livre? Vi ali em cima você dizendo que tomou medicação por 5 anos. Minha pergunta é: fica-se curada do Ca, mas ainda assim tem que ficar tomando medicação??? Abraços... vc é um exemplo....

    (05:54:55) Valéria Baracat: É maravilhoso ter este medicamento por cinco anos ou mais. Tenho cereteza que não vai voltar, já que o medicamente me deu uma proteção bárbara, que eu não teria lá atrás. Sei lá, talvez, há 20 anos, nós não tínhamos estes remédios, o que não nos garantia tanto. Agradeço ter tido a oportunidade de tomar os remédicos que me deram a proteção e a tranquilidade que eu precisava. Durmo mais tranquila. Obrigada por ser um exemplo. Temos muitos gerreiros e guerreiras pelo mundo.

    (05:55:21) Paula: Oi Valéria, tudo bem. Tîve um câncer de mama diagnosticado em janeiro desse ano, fiz a última aplicação de quimioterapia em setembro e agora sigo com a herceptina e o comprimido, que será definido na próxima semana. Tenho 36 anos e foi um baque muito gde receber a notícia. Enfim, tive apoio de muita gente, muitos amigos e família, foi muito importante. Estou ótima, sempre acreditei na minha cura e fiquei bem durante todo o tratamento. Agora não vejo a hora do meu cabelo crescer, da minha sobrancelha e meus cílios voltarem, sinto falta até dos pelinhos do meu nariz... Demora muito pra conseguir não usar peruca???? Tenho duas filhas, uma de 2 anos e outra de 9, e a de 9 não suporta a idéia de me ver sem peruca...

    (05:59:58) Valéria Baracat: É assim mesmo! Ela é quase uma pré-adolescente, que vc é o exemplo de mulher. Ela não imaginava vc, como a "ídola" dela careca, né? É uma menina, mas que entende das coisas. Isto passa, mas a época da carequinha, um dia ela vai lembrar com um pouco de graça. Eu li uma vez, e achei bem legal. A família passou a fazer desenhos de todos que estavam no entorno e tb tiravam muitas fotos. Fizeram um álbum de família, contando a história dos anos de tratamento. A história foi maravilhosa, linda mesmo. A coragem do marido ao explicar para os filhos, até como deveriam fazer carinho na mãe. Tudo é uma lição de vida. Nada é por acaso.

    (06:00:43) flor: Posso conviver com um nódulo de 0,9 mm benigno. Tenho que fazer cirurgia ?

    (06:03:40) Valéria Baracat: Não necessariamente. Consulte o médico regularmente. Acredito na medicina brasileira, que está entre as melhores do mundo, principalmente, em oncologia. Lembrem-se de um grande guerreiro, que ama a vida mais do que tudo, o nosso vice-repsidente da República, José Alencar, que luta pela vida mais do que tudo. Já fez 15 cirurgias, o que é maravilhoso. Vou dar duas dicas: procurem a cartilha em um hospital com setor de oncologia. A segunda, entrem no nosso site, que tem muita coisa bacana para servir de exemplo: www.artedeviverbem.com.br. Obrigada! Bjs, Valéria

    (06:04:26) Valéria Baracat: Obrigada pela oportunidade de passar um pouco do que aconteceu comigo. Espero ter ajudado.

    (06:03:52) Moderadora/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Valéria Baracat e de todos os internautas. Até o próximo!
    Hospedagem: UOL Host