UOL Bate-papo

  • pessoas online
  • 7.577 salas abertas
  • 378.850 lugares

Publicidade

Bate-papo com convidados

BATE-PAPO COM Teatro Mágico - 24/06/2008 às 18h00

Fernando Anitelli, músico e fundador da trupe, conversou sobre o lançamento de "O Teatro Mágico: Segundo Ato", segundo projeto do grupo que reúne música, poesia, circo e teatro. Com apenas quatro anos de carreira, o Teatro Mágico já vendeu mais de 85 mil CDs produzidos artesanalmente e foi eleito pelos leitores da "Folha de São Paulo" o "Melhor Show da Atualidade no Brasil". No papo, Anitelli também falou sobre a proposta do grupo nessa nova fase e explicou o motivo da companhia musical e circense passar a apresentar um perfil mais questionador e contestador.

  • Releia o bate-papo realizado em 2007
  • O Teatro Mágico lança álbum de inéditas
  • Baixe o segundo CD do grupo
  • Fernando Anitelli diz onde curtir a natureza
  • Produza o clipe de "Cidadão de Papelão"
  • Assista ao vídeo da conversa na íntegra:


  • (06:15:33) Fernando Anitelli: Vou dar uma palhinha com a canção "Pena" que é uma parceria com a escritora Maíra Viana.

    (06:09:41) Nah Garcezz: Fernando, notei q o cd novo está mais adulto, falando de temas mais delicados como é falado em "Channel nº 5", enquanto em "entrada para raros" era uma coisa mais fantasiada, mais pintada de inocencia. essa mudança de um cd para o outro foi intencional, ou vc mudou sem notar. Foi uma coisa mais o menos " ah! saiu assim, vai ficar assim"?

    (06:19:21) Fernando Anitelli: Nah Garcezz, não, o trabalho do Teatro Mágico apesar de sua espontaneidade, foi todo muito pensado. O primeiro trabalho trazia esta idéia de um personagem imerso em um universo mais lúdico. Agora com o "Segundo Ato" é o inverso, o personagem está imerso em um universo preto e branco. Se ele não interferir nisso, se não ser provocado por isso as coisas ficam sem sentido. Então ele busca mais as sombras interiores, debates do universo da música, do cidadão etc. Foi tudo muito pensado nestes quatro anos para trazer para este CD.

    (06:19:33) Fernando Anitelli: O CD "Segundo Ato" está disponível para download.

    (06:21:44) Fernando Anitelli: A arte do CD foi inspirada, além do Salvador Dali, nos quadrinhos Sandman. Não apenas no som, no texto, nos figurinos e cenários resolvemos colocar no encarte também estas pessoas distorcidas, como se fosse um grande quebra-cabeças para brincar. Foi feito um mapa por trás disto tudo, é como se o CD contasse uma história através dele mesmo.

    (06:23:32) Fernando Anitelli: É muito difícil fazer uma perfomance, é até uma injustiça comparar o som do CD com a apresentação do Teatro Mágico. Lá tem outra sinestesia. Uma coisa é o CD e outra coisa é o show. Na apresentação tem a entrada das pessoas, os trapézios, a corda indiana, os malabares, o fogo etc.

    (06:10:23) antonio encarnação: de onde teve a ideia de montar o teatro magico?

    (06:25:11) Fernando Anitelli: antonio encarnação, eu frequentava muito saraus e lá aconteciam coisas mágicas, a busca daquela frequência, do compartilhar a informação, a brincadeira. Aquele espaço me deu a idéia de fazer tudo isto no palco. Os jovens hoje estão fazendo poesia e quando fazem saraus é fantástico. De maneira virtual também se criam redes e espaços independentes. O TM surgiu desta ebulição de idéias, desta vontade de fazer tudo acontecer ao mesmo tempo.

    (06:12:03) bruh: fernando quando voce montou o teatro magico esperava esse sucesso todo?

    (06:26:28) Fernando Anitelli: bruh, a busca sempre foi de se auto-sustentar. A vontade de experimentar na música, nos textos, na maneira de se apresentar para o público. A expressão artística é sagrada, então a nossa busca foi sempre não perder este sagrado. Temos artistas que vem agregando ao nosso trabalho, isto tudo foi amadurecedor.

    (06:10:47) douglas: queria saber se o cd segundo ato mantem a mesma linha do primeiro , e o teatro magico se inspira em quem? cordel pode ser um ?

    (06:27:58) Fernando Anitelli: douglas, o Teatro Mágico jamais será um cordel. Seremos sempre o Teatro Mágico com suas características. O CD "Segundo Ato" tem a mesma essência. Assim como no primeiro CD, as músicas não terminam, mas se transformam. É como se fosse uma grande história misturada com poesia e pausa, mas tudo no mesmo lugar.

    (06:15:07) MARcio: Os demais integrantes da trupe participam de deciões importantes, como composições, escolha de figurinos, números etc, ou apenas são artistas contratados?

    (06:30:30) Fernando Anitelli: Marcio, eles participam dando opiniões nos arranjos uns dos outros, temos liberdade muito grande para opinarmos juntos. Não temos disputa por folia. Todo mundo opinou nos seus figurinos. Lógico que tem uma direção, o projeto tem uma linha. Mas são artistas independentes que tive a graça de colocar no mesmo palco. Atualmente somos em 12 e muitas vezes conseguimos agregar artistas na estrada. Como o Cabruera que tem um som fabuloso em Campina Grande. É fundamental esta troca de informação. Todo mundo está fazendo o seu próprio trabalho, as suas coisas, criando e todos estão no Teatro Mágico fazendo este show. Destes encontros saem coisas fabulosas.

    (06:32:23) Fernando Anitelli: Viver de arte em nosso país é para quem gosta de guerra, para quem gosta de se jogar na fronteira, para quem se sente um guerreiro. Falta um espaço para abraçar, outra política cultural para traduzir a música e a arte como algo fundamental para a construção do ser humano. Nós temos verdade em relação ao nosso trabalho. É um movimento em prol de tudo isso que a gente não está acomodado.

    (06:32:46) Moderador/UOL:

    Fernando Anitelli, músico da trupe Teatro Mágico, se prepara para o Bate-papo com convidados do UOL (crédito: Eduardo Tardin/UOL)

    (06:25:13) Jeniffer Telhado: Como surgiu a parceria com Zeca Baleiro na canção Chanel n° 5?

    (06:34:59) Fernando Anitelli: Jeniffer Telhado, nos encontramos em Ribeirão Preto onde ele me convidou para participar de seu show. E eu o convidei para participar do TM. Para gravar o CD "Segundo Ato" eu estava com uma crítica ao que se fez a televisão, sempre com o mesmo assunto e os mesmos programas. O brasileiro precisa através da televisão descobrir coisas que o fazem debater e falar mutio mais. Então o "Xanéu nº 5" que eu escrevi junto com o Danilo Souza é uma crítica a tudo isso. Quando a música estava pronta, resolvi chamar o Zeca Baleiro.

    (06:27:55) Mariane Magossi: Fer de Onde veio a ideia das roupas personalizadas? Manda um beijo para mim? Beijo amooooooooo vc!

    (06:36:23) Fernando Anitelli: Mariane Magossi, foi criado pela Ane Raquel, uma figurinista fantástica.

    (06:28:03) diego: O CD Segundo Ato traz a canção cidadão de papelão. O clipe da música está sendo feito através da promoção com a Fiz TV. Qual pensamento você espera que clipe passe para a sociedade?

    (06:38:59) Fernando Anitelli: diego, a FizTV junto com o TM fizeram uma parceria. A música "Cidadão de Papelão" traduz a idéia das pessoas que estão jogadas em SP como se fossem invisíveis diariamente.

    (06:28:50) HASAVERUS: Anitelli, a respeito do novo trabalho, existem muitas mensagem escondidas nele, algumas até mesmo indecifraveis. São apenas brincadeiras ou escondem o verdadeiro segredo do Segundo Ato?

    (06:40:43) Fernando Anitelli: Hasaverus, existem coisas inseridas neste trabalho que fazem com que os jovens percebam que podem usar as ferramentas música e CD de várias maneiras. As coisas não são como elas parecem ser. Tem algumas coisas escondidas no CD de alguns autores e escritores para despertar a curiosidade de ouvir as coisas com outros olhos. Então é isso, o CD é para ouvir com outros olhos.

    (06:29:27) Isabella: Bom, todos sabemos que o 'Entrada para raros' conquistou o público infantil principalmente pelo colorido do show. Agora, o segundo ato vem mais ousado e amadurecido, mais preto e branco, o que você acha, ou espera, que aconteça com o público infantil daqui pra frente?

    (06:42:33) Fernando Anitelli: Isabella, neste último fim de semana fizemos o lançamento do "Segundo Ato" no Memorial da América Latina em SP e tinham muitas crianças cantando "Coisas do que prevalecem...". Eu acho fantástico, eu nunca vi crianças cantando isso. Eu imagino que as crianças crescerão e amadurecerão assim como o trabalho amadurece, é o que se reflete no "Segundo Ato".

    (06:36:19) TiaGo_: o TM tem chance de um dia gravar por um gravadora famosa??abraço fernando, satisfaçao grande

    (06:44:59) Fernando Anitelli: TiaGo_, estas gravadoras grandes e famosas tem que olhar os artistas de outra maneira. Os artistas não conseguem espaço porque são órgãos de anunciantes, para aparecer tem que pagar o famoso jabá. Com a internet foi possível fazer uma democracia na comunicação. Nestas gravadoras há uma falta de respeito com a criatividade e a livre expressão. Então o Teatro Mágico prefere a independência.

    (06:47:07) Fernando Anitelli: Deixamos o nosso trabalho acessível para as pessoas opinarem e escolher o que querem. Elas podem ver o que é interessante ou não. Hoje vemos sempre as mesmas coisas nas rádios e TV e me pergunto se é isso mesmo que a gente quer ouvir. A internet nos deixam de frente para o público, se o trabalho for bom ele perdurará e se não for bom irá acabar.

    (06:38:49) duds: Fernando, nos shows, músicas do primeiro cd ainda serão tocadas pela trupe??

    (06:47:53) Fernando Anitelli: duds, algumas que traduzem o contexto do CD "Segundo Ato" serão inseridas nas apresentações.

    (06:43:33) Moderador/UOL:

    Fernando Anitelli, músico da trupe Teatro Mágico, no estúdio do Bate-papo UOL (crédito: Eduardo Tardin/UOL)

    (06:49:27) Fernando Anitelli: Nós já gravamos uma porção de DVDs. O meu pai levava a câmera para os shows e filmava, mas com uma visão muito paternalista. Era sempre zoom em mim. Então tentamos fazer uma coisa diferente, mas até agora não conseguimos terminar com o carinho e atenção que merece. Mas em breve estará pronto.

    (06:42:15) BIEL: Como é trabalhar este tipo de arte num país onde a cada dia nós vemos as pessoas perdendo o interesse que não seja de massa?

    (06:51:18) Fernando Anitelli: Biel, temos que provar isto nas atitudes e posturas. Para provar o "Segundo Ato" o Teatro Mágico fez uma caminhada para colocar em questão a cultura. Colocar um CD de graça é para quebrar o acesso ao que sempre existiu que é o monopólio da comunicação. Isto é o que está acontecendo, o que estamos fazendo, estamos inseridos neste jogo.

    (06:47:28) miriam: Fernando,qual é a sua origem?circence,musico ou ator?

    (06:55:23) Fernando Anitelli: miriam, eu cresci brincando com circo, com um pouco de teatro e música. Sempre gostei de arte, de brincar, de ler, de desenhar, sempre fiz quadrinhos, sempre estive jogado neste contexto. Então a minha origem é esta. Eu tive uma fé depositada sobre mim dos meus pais para fazer música, principalmente do meu pai. Tem que potencializar no jovem o que é desbravador para sair do padrão e não ficar nesta coisa massificada sobre o que se tornou. Chega, tem uma hora que não dá. Tem muita gente fazendo coisa bacana. Temos que cada vez mais nos unir para criar oportunidades em qualquer espaço que puder, fazer um sarau, um circo ou uma música. Então tem que ter mais incentivo cultural. Tudo isso tem que ser criado no boca a boca fortalecendo esta rede cada vez mais.

    (06:47:31) Alexandre: Fernando, os textos do 2º ato, como "Insetos Interiores" e o "Amadurecência" foram escritos por vc?

    (06:56:09) Fernando Anitelli: Alexandre, sim, são textos que traduzem justamente esta amadurecência, este momento do Teatro Mágico, estes textos mais cruéis, no sentido de cru mesmo. Estou achando interessante que as pessoas têm gostado desta músicas com um teor mais crítico, isto mostra que existe muito mais pessoas incomodadas.

    (06:48:11) viviane: Você já se imaginou assistindo o seu espetáculo? Como o Fernando Anitelli se sentiria?

    (06:57:02) Fernando Anitelli: viviane, quando eu desço na platéia eu vejo o que está acontecendo. Imagino que assistir deve ser uma chuva de informações porque é coisa de tudo o que é quanto lado, é uma bagunça organizada, não tem como fugir disso.

    (06:52:19) Amanda - TM: Você acha q a trupe evoluiu em que aspectos nesse cd?

    (06:58:50) Fernando Anitelli: Amanda - TM, os arranjos estão muito mais maduros e criativos. Os textos estão muito mais centrados, estamos muito mais voltados para as nossas sombras interiores. Em termos de circos, outros aparelhos aéreos, outros malabares, outras coreografias e figurinos. A trupe amadureceu por completo, inclusive em nossas próprias relações. Neste trabalho é muito fácil imaginar que é tudo festa, mas não é. Para se chegar a este aspecto de explosão é muito choro, caminhada, sorriso e batalha.

    (06:51:40) Alexandre Parina: Certa vez o Renato Russo comentou que não gostava que os fãs da Legião o seguisse/imitasse sua vida fora dos palcos. Ele falava que as pessoas deveriam gostar da Legião pelo que eles faziam no palco. Anitelli, o que vc acha disso? Têm medo de que as pessoas passem a idolatrar a Trupea colocando acima de tudo e de todos?

    (07:01:27) Fernando Anitelli: Alexandre Parina, sobre esta questão de idolatria, de idolatrar, de criar um estereótipo para o artista, o Teatro Mágico traduz esta explosão de rebeldia em relação a construção da música, de como fazer esta economia com o CD, da disponibilização dos CDs das pessoas, de sair do mecânico. Isto tudo é importante e interessante. Se as pessoas traduzirem de maneira saudável e pontencializadora como ser humano será fundamental. Mas o artista é humano também, então não se segue uma pessoa porque ela está famosa. É preciso que todos tenham o seu livre arbítrio, tem que trazer para si o que é saudável.

    (06:52:52) Mariane Magossi: O que vc acha do valor q os cds de hoje são vendidos? Já q o do TM são vendidos de 5 a 10 reias? Vc acha que isso contribui com a pirataria? E vc acha correto pirataria? beijos!

    (07:04:57) Fernando Anitelli: Mariane Magossi, eu acho os preços dos CD abusivos. As grandes gravadoras não olharam o que estavam acontecendo com a tecnologia. Todos tiveram a sua fita cassete com suas músicas. Hoje a tecnologia mudou, é o CD que passamos para os outros. E isto é fantástico. Começou a ser abusivo este preço porque esta inserido nisso toda esta promoção com o jabá que é fora da lei. Tudo isto traz a tona uma insatisfação generalizada e para combater isso surgem os camelôs com CDs a 5 reais. Hoje outros grupos estão fazendo isso de forma legal. Começamos a buscar tudo isso para que o acesso fique cada vez mais potencializado e generalizado. Eu não acho a pirataria correta, quando digo para piratear o CD do Teatro Mágico é para passar para as outras pessoas para terem acesso.

    (06:55:59) PriXiLA: E quando é lançado o ultimo Cd da triologia Teatro Mágico?? Já tem previsão??

    (07:06:39) Fernando Anitelli: PriXiLA, ainda não tem previsão. Deixa eu passar por situações, deixa as cosias amadurecerem, eu não quero falar as mesmas coisas. Então não tem previsão, nem um nome. Em um primeiro momento eu imaginei uma trilogia, depois disso eu não sei. Depois eu não sei se outras coisas virão, deixa o tempo contar esta história.

    (06:54:43) Moderador/UOL:

    Fernando Anitelli, músico da trupe Teatro Mágico, no estúdio do Bate-papo UOL (crédito: Eduardo Tardin/UOL)

    (06:56:59) Tio Eder: Quantos são os componentes do TM hj? Vc's são abertos para por exemplo encontrar alguém legal e essa pessoa integrar a trupe?

    (07:07:20) Fernando Anitelli: Tio Eder, claro, a trupe agora tem um pessoal novo que entrou. A trupe está sempre aberta. Mas neste momento estamos mais interessados em traduzir o que criamos em termos de palco.

    (06:58:06) Mandrake: Na musica, Amadurecência, o citado ser vil que passa para servir, seria uma metafóra para a grande mídia que antes virava a cara para a Trupe ou a metafóra é para outra coisas?

    (07:07:33) Fernando Anitelli: Mandrake, são as duas coisas.

    (07:03:18) Pantufa: Fernando vcs prezam muito a independencia de vcs o que e realmente fantastico. Vcs tem vontade de num futuro proximo terem sua propria lona e fazer seus shows em um circo intinerante pelo Brasil dependendo somente de vcs

    (07:03:19) Felipe: anitelli, sobre a trilogia, rolou boatos q após o terceiro cd, o teatro ira "acabar".. isso é verdade? qual seus planos após o lançamento da trilogia completa?

    (07:09:32) Fernando Anitelli: Pantufa e Felipe, não sabemos o que vai acontecer, mas em relação a lona é fantástico, tem circos que conseguiram apoios através de leis e fazem trabalhos fantásticos nas cidades. Eu gostaria muito de fazer isso, este circo intinerante, mas não dá para fazer isso. Tentamos ocupar o nosso espaço para apresentação transformando em um circo. Temos estas duas possibilidades. Seria legal, mas neste momento não conseguimos fazer. O Teatro Mágico não vai acabar. Estamos começando agora o Segundo Ato, isso nem passa por nossa cabeça.

    (07:07:14) Dani: Fernado, vc é um excelente compositor...como vc encara a questão a inspiração? acredita que ela existe, ou que compor na verdade é um trabalho de tranpiração?

    (07:11:03) Fernando Anitelli: Dani, as duas coisas. Quando se tem a idéia do que está acontecendo, a batida, tem que passar isso para os músicos que te acompanham e os artistas para fazer uma cena. Então a música assim como a palavra é viva. Quando se lê um livro de novo se interpreta outras coisas. Então na verdade é uma infinidade de possibilidades.

    (07:07:33) Tio Eder: Te reconhecem na rua de 'cara limpa'?

    (07:12:10) Fernando Anitelli: Tio Eder, alguns sim, muitos acham que sou um judeu ortodoxo devido a minha barba, mas poucos me reconhecem. Mas quando me reconhecem sempre é gratificante.

    (07:09:04) Carolina: Fernando vocês tem feito show por todo o país,e em cada lugar que vocês o público reage muito bem,como vocês decidem em qual cidade irão fazer show?

    (07:13:17) Fernando Anitelli: Carolina, se nunca fomos a um lugar apresentar vamos para lá, sempre foi essa a idéia, além dar acesso a todos as pessoas que trabalham com teatro e música. Tem cidade que nos descobrem pela primeira vez e em outras cidades em que o público nos trata como se já tívessemos passado por lá. Então não tem uma forma para fazer o que fazemos.

    (07:10:12) Felipe: Em relação à maquiagem, quem a faz? Você mesmo ou algum maquiador profissional? Percebi que a sua maquiagem é sempre a mesma para todas as ocasiões, ela representa algo pra você ou simplesmente adotou como sua marca? valeu

    (07:15:05) Fernando Anitelli: Felipe, ela representa uma coisa de pierrot assim como o bufão, o palhaço na comedia del art, o malandro, o romantico, o sonhador. Na verdade esta maquiagem é inspirada em alguma coisa como o Coringa, os pierrots tradicionais, Secos e Molhados etc. Tem esta coisa de fazer uma caricatura de si mesmo. Tem esta coisa de ir à tona.

    (07:12:17) JOSEPH: eu li na Folha de São Paulo um comentario..que dizia que o novo album so funcionaria ao vivo ..vc concorda?

    (07:15:10) Fernando Anitelli: Joseph, não concordo.

    (07:14:13) Duda: Fernando, você pensa em escrever um livro? Registrar a história do Teatro Mágico, ou até mesmo a sua visão ante o mundo? Parabéns pelo trabalho maravilhoso.

    (07:16:07) Fernando Anitelli: Duda, muito obrigado. Penso em escrever um livro com contos, crônicas e quadrinhos. Misturando tudo com várias traduções de imagens dentro do mesmo álbum. Tenho a idéia, mas não sei quando vai acontecer.

    (07:17:39) Fernando Anitelli: Agradeço a todos. Façam saraus, reciclai-vos, busquem coisas que os tirem da zona de conforto. Isto é fantástico e amadurecedor. Quinta (26) estaremos em Botucatu, sabádo (28) em Curitiba e domingo (29) em Goiânia. Boa noite.

    (07:17:45) Moderador/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Fernando Anitelli e de todos os internautas. Até o próximo!