UOL Bate-papo

7.825 salas abertas pessoas online 391.250 lugares

Bate-papo com convidados

BATE-PAPO COM Cassio Scapin - 16/03/2004 às 20h00

Cassio Scapin

O ator está em cartaz com a peça "Memórias do Mar Aberto - Medéia conta sua história", no teatro Sérgio Cardoso (SP), e veio ao Bate-papo UOL falar sobre a montagem de Consuelo de Castro baseada na tragédia grega escrita por Eurípedes.

Participaram do Bate-papo 221 pessoas

(08:04:29) Cassio Scapin: Oi pra todo mundo. É um prazer estar aqui neste bate-papo. Tomara que a gente tenha uma conversa interessante esta noite.
(08:04:30) Guilherme: Desde "Nino" até "S. Dumont", percebe-se, aliado ao talento, estudo e técnica, que essas são suas características tanto sobre palcos ou estúdios calorentos. Na sua opinião, escolas preparatórias de atores são válidas, ou quem nasce para ser ator simplesmente precisa de uma ajudinha para entrar no mundo das artes? Quais escolas são as melhores em São Paulo? Tenho 16 anos, já fiz cursos de teatro, e gostaria de desenvolver-me mais nessa área, agradeço sua ajuda, um grande abraço.
(08:07:15) Cassio Scapin: Guilherme, acho que escolas são válidas e necessárias. Marília Pêra diz que você precisa 70% de talento e 30% de sorte. É preciso fazer uma boa escola técnica porque é uma arte muita antiga e muito séria. Meu conselho é que você preste a EAD na USP. Acho que é a que melhor prepara o ator. É muito séria, é gratuita. Não tem o QI (quem indica). Acho a melhor escola do país hoje! Fiz a EAD e é a que posso dizer com maior propriedade
(08:07:18) Kleber - London: Cassio, o que é mais gostoso fazer, teatr ou tv?
(08:08:44) Cassio Scapin: Kleber - London, gostoso é representar. São prazeres diferentes. Fazer o Santos Dumont agora foi maravilhoso. Pelos diretores, colegas e pela dedicação da Globo. TV é um trabalho operário e teatro te acolhe mais. Tenho uma queda pelo teatro, mas o dois são muito prazerosos.
(08:08:45) mina: qual fase da sua carreira vc mais curtiu
(08:10:16) Juca: OLá Cássio! Adoro seu trabalho. Achei Santos-Dumont um persongem muito bem interpretado por você. como foi o estudo do personagem? Foi tão difícil fazer Dumont quanto está sendo tão complicado quanto o texto de Eurípides, no teatro?
(08:10:24) Cassio Scapin: mina, puxa!!! Eu tô curtindo muito agora. Das coisas que estou fazendo. As coisas vão se transformando. Não posso reclamar da minha carreira. Fazer Mr Green com Paulo Autran foi uma delícia, fazer o Ra-tim-bum também e tantos outros trabalhos. Sempre tive muita sorte nos meus trabalho.
(08:13:02) Cassio Scapin: Juca, salve! Foi muito prazeroso e eu estudei bastante. Li várias biografias sobre ele. Foi complicado no sentido que todo mundo conhece. Era um personagem muito delicado, inclusive porque não tinha muitos dados da sua vida privada. Fui atrás da família e busquei dados pessoais dele. Aliás queria mandar um abraço pro sobrinho-bisneto dele, ele não casou e não teve filhos. A Medéia é da Consuelo de Castro e não de Eurípedes. O assuntos é basicamente o mesmo, mas o desfecho é diferente. É bem difícil fazer este personagem. São esforços diferentes e prazeres diferentes.
(08:13:02) DRICA: Boa noite Cassio. Como você sente sendo, além do Tonnhão, da Ligia e do Jairo, um dos poucos que consegui seguir a carreira do pessoal do Célia Helena? Não sei se você se lembra, sou a Adriana da turama da Débora, Cynthia etc.
(08:13:06) Donatello: Qtos anos vc tem de carreira? Só atores globais tem fama e ganham dinheiro no Brasil?
(08:14:58) Cassio Scapin: DRICA, salve!!! lembro. Um beijo pra você. Que tempão! Eu me sinto muito bem. Fiz Célia Helena quando tinha 16 pra 17 anos. Na direção da Célia, ela tinha uma preocupação muito bacana, além da formação do ator e se preocupava com a formação do adolescente. O trabalho da Célia foi muito importante pra formação como ator e como pessoa. Sou muito feliz em defender essa profissão que amo tanto.
(08:17:00) renato: Antes deste personagem, muito bom, vc tinha alguma admiração pelo Santos Dumont, se achava parecido com ele...
(08:17:03) Cassio Scapin: Donatello, tem uma frase no Mambembe que diz do meu primeiro dinheiro ganho com meu trabalho artístico, foi lá no Célia Helena, eu tinha 16 pra 17 anos. Se vive de teatro no Brasil. É um erro achar que só atores da Globo vivem da profissão. Existe um leque muito abrangente nesta área. Existe uma diferença entre ser famoso e ser um ator. Você pode sim ganhar dinheiro no teatro. Faço 39 anos este ano e vivo da minha carreira desde então.
(08:19:00) Cassio Scapin: renato, eu não me achava parecido. Apesar de um amigo uma vez ter me enviado uma foto do Santos Dumont dizendo que era eu. Mas meu avô era muito parecido com Santos Dumont. Agora se sou parecido com meu avô, eu não sei (rs). Já tinha muita admiração por ele. Se falava muito dele em casa pelo meu avô ser parecido com ele. Acho que essa admiração contribuiu com que eu fizesse o personagem com muito gosto.
(08:19:01) Donatello: Parabéns Cássio pelo trabalho do personagem Santos Dumont? Mas vc não ache que o personagem foge muito do contexto, do propósito da minissérie? Principlamente por ser uma minissérie e não uma telenovela?
(08:20:48) Cassio Scapin: Donatello, essa minissérie da Maria Adelaide Amaral e do Alcides Nogueira vem informar de um momento muito rico para o Brasil, mas ela é um produto de televisão, portanto, funciona sim como folhetim. Acho que vc se refere a isso. Claro que fica defasado, mas a história é sobre a Yolanda Penteado.
(08:20:48) Dani: Qual é a técnica que você ultiliza pra criar personagens tão interessantes eao mesmo tempo diferentes?
(08:22:26) Cassio Scapin: Dani, eu gosto muito de diferenciar. Acho que o ator tem que ser móvel e ter cara de nada para poder encarnar uma personalidade diferente. Gosto das características físicas, busco isso do personagem. A máscara do personagem expressa uma condução psicológica. Acho que o jogo do reflexo de quem a gente é e de como a gente se comporta é muito importante.
(08:22:26) Kleber - London: Qual foi o ator ou atriz mais incrível com quem vc trabalhou?
(08:24:21) Cassio Scapin: Kleber, acho que o ator mais incrível foi o Paulo Autran, por diversas razões. Ele criou uma intimidade com o teatro, que a casa dele é o teatro. Ele botava a roupava do personagem e dormia no sofá em cima do palco até o terceiro toque. Acho que ele é mais incrível. Tenho uma admiração profunda pela Marília Pêra. Tenho prazer de ser amigo dessa mulher incrível. Com ela nunca contracenei, é uma vontade da gente.
(08:24:21) Moderador UOL:
Marcelo Favalli / UOL

O ator Cassio Scapin no Bate-papo UOL

(08:24:23) FELIPE/RIO: Cassio, desde antes de trabalharmos juntos,tinha _e tenho_ muita admiração por você e seu trabalho. Muita sorte! Beijão! Felipe Martin. Ah, fale um pouco sobre Ulysses...
(08:26:33) Cassio Scapin: FELIPE/RIO, eeeeeeee Felipinho. Beijo pra você. Foi ótimo aquela experiência. Trabalhamos juntos e foi um prazer trabalhar com você. Gravei uma cena com o Ulysses. Ele foi um diretor muito importante na minha carreira. Fiz dois espetáculos com ele. É um diretor que tenho muita admiração e nosso amigo, né Felipe? Beijo pra você.
(08:26:36) Andréia: qual foi o personagem que vc mais gostou de representar?
(08:29:28) Cassio Scapin: Andréia, puxa vida... cada um teve um gosto diferente de fazer. Adorei fazer o Santos Dumont. Tô adorando fazer o Jasão. Tem umas coisas que você acha muito importante o Louis do Angels in a America. Ele era casado com uma drag queen e aparece com o vírus da Aids, na época era difícil falar sobre esse assunto. Conheci pessoas que tinham uma atitude parecida com o do personagem e isso me deu um tapa na cara. Foi muito importante porque tinha a ver com uma moralidade minha, moralidade das pessoas e um momento histórico. Esse personagem foi muito importante.
(08:29:28) Moderador UOL:
Marcelo Favalli / UOL

O ator Cassio Scapin conversa ao vivo, no Bate-papo UOL

(08:29:32) asas: Cassio, você é um ator que despontou para o grande público no Castelo Rá-Tim-Bum. Você não tinha medo de ficar rotulado como 'aror pra crianças"? Como você se livrou deste estigma, se é que ele existiu um dia?
(08:31:45) Cassio Scapin: asas, eu acho que o sucesso é uma coisa muito boa. Fazer sucesso com o Nino foi muito bom pra mim. Não tinha medo de ficar rotulado porque já havia feito muitas coisas no teatro. Acho que se você continua inquieto e buscando fazer outras coisas, você não corre este risco de ficar estigmatizado. A profissão do ator tem a ver com o abandono. A gente sempre abandona tudo, inclusive o sucesso. Claro que dá medo fazer outras coisas e não se sair tão bem, mas faz parte da profissão do ator correr um risco todo dia.
(08:31:45) Donatello: Projetos como Castelo Rá-tin-bum não deveriam ter mais espaço na TV brasileira?
(08:33:34) Cassio Scapin: Donatello, é claro que deveriam. É claro que a televisão brasileira tem uma defasagem nisso. Não acho os programas feitos para crianças e adolescentes os mais adequados. Acho que precisa se pensar mais na questão da formação. Gosto muito da Futura, que tem essa preocupação. A televisão não é da emissora, é uma concessão, é do cidadão e o cidadão merece um retorno efetivo disso, não só comercial.
(08:33:34) FELIPE/RIO: preciso ir, pois estou indo ensaiar, beijão e MERDA!!!!!!
(08:34:06) Cassio Scapin: FELIPE/RIO, Merda!!!! Tô curioso pra saber sobre seu proximo trabalho. Me liga, rapaz!
(08:34:06) @m@nd@: oi, o que levou você a ser um ator? vocação? talento? ou decidiu ser um ator só para saber se era isso mesmo que você queria?
(08:35:44) Cassio Scapin: @m@nd@, é muito esquisito. Acho que não decidi, acho que o teatro se decidiu por mim. Nunca fiz outra coisa. Saí do colegial e fui fazer faculdade de arte dramática. Devo ter me apaixonado inconscientemente pelo teatro. Se tiver que ir atrás de outra profissão hoje, não sei porque me decidir. O teatro se decidiu por mim e aqui estou preso, se Deus quiser!
(08:35:44) DRICA: Você continua desastrado? Uma cena que não esqueço é de você jogando a bota e quebrando um vaso do cenário da Globo e de derrubando a Cynthia no chão em outra cena.
(08:36:54) Cassio Scapin: DRICA, ahahahahah às vezes continuo sendo desastrado. Tenho um pouco de excesso de energia. Agora indo pra quase 40 anos sou mais calmo. Já arranquei maçaneta de cenário, etc. Legal você ter lembrado desta cena. Mas melhorei bastante!
(08:36:55) Moderador UOL:
Marcelo Favalli / UOL

O ator Cassio Scapin conversa ao vivo, no Bate-papo UOL

(08:37:26) Beth: Cássio, você já trabalhou com muitos diretores diferentes. Com quais você mais se identificou, mais teve a ver com a sua proposta de trabalho???
(08:38:13) Cassio Scapin: Beth, com a Regina Galdino. Essa que estou fazendo Medéia. Fizemos outro trabalho que foi Memórias Póstumas de Brás Cubas. Com Ulysses Cruz, que adorei. Sou muito fácil de trabalhar com diretores. Tem vários que adorei trabalhar.
(08:38:15) asas: Cassio, acredito que um grande ator como você sonha em interpretar uma tragédia grega, não? Sei que a "Medéia" que vc está fazendo não é bem o mito original. Qual são as principais diferenças?
(08:40:09) Cassio Scapin: asas, é que esta Medéia é heróica, ela tem a responsabilidade de restituir a paz. Ela não mata os filhos por ciúmes, mata por um acidente. Esta é a principal diferença. É difícil fazer uma tragédia sim. Tem um determinado tom que a diretora exige que é difícil conseguir a cada dia, mas esta é a diversão da profissão.
(08:40:34) maíra: Oi Cássio! Eu faço faculdade de cinema e queria saber, na sua opinião, quais são as perspectivas para essa arte no Brasil, e qual o seu nteresse pelo cinema? obs: vc marcou a minha infância !!!! bjos...
(08:41:44) Cassio Scapin: maíra, olá. Acho que as perspectivas são as melhores. O cinema nacional está se tornando um dos melhores do mundo. Eu amo cinema. Tem um filme meu pra estrear. Eu acho que vc tem que ter força na tua escola porque as perspectivas são as melhores para todos nós. Espero fazer muito mais cinema.
(08:41:45) 7sete7: Como é estar trabalhando na Globo? Já existem outros projetos pra vc? Gostaria de deixar registrado aqui que, na minha opinião, vc é um ator utopico e de um carisma inato.
(08:43:29) Cassio Scapin: 7sete7, muito obrigado. Foi muito bom trabalhar na Rede Globo. Nunca fiz novela, gostaria até de trabalhar. Sei que o tratamento da novela é diferente da minissérie. Minha participação foi uma participação muito confortável e prazeroso. Me receberam muito bom. Sempre tem as sondagens de outros trabalhos, estou aguardando as confirmações.
(08:43:31) Donatello: Vc já fez Cinema, certo? Tem algum papel que gostaria de representar no cinema?
(08:44:50) Cassio Scapin: Donatello, certo! Eu gostaria de representar um homem comum, com conflitos cotidianos, conflitos amorosos, gostaria de fazer personagens históricos. Cinema é tão amplo pra mim. Estou disposto a fazer qualquer personagem. Isso que é bacana no cinema.
(08:44:52) 7sete7: Exixte a possibilidade de vc se lançar à carreira de diretor de cinema. Eu li isso em um site e tal... é verdade?
(08:46:13) Cassio Scapin: 7sete7, não. Acho que não tenho capacidade, não tenho esse conhecimento tão profundo. Acho que vc deve ter visto que iria dirigir uma ópera e um musical. Já dirigi teatro e gosto muito dessa função. Prefiro ser ator, mas acho que cumpro bem a função de diretor de teatro, mas cinema não. Tem gente que faz muito melhor que eu.
(08:46:14) ANJINHA: O NINO MUDOU A SUA VIDA COMO ATOR OU NÃO ?????
(08:47:37) Cassio Scapin: ANJINHA, o Nino mudou sim. Ele teve uma repercussão que me abriu portas e me deu possibilidades na carreira. Me colocou na mídia e foi importante pra que minha carreira tivesse um desdobramento muito rápido. Se o Nino deu uma repercussão na Cultura, imagina um carreira na Rede Globo. O Nino ajudou a levar gente pro teatro.
(08:47:39) asas: Cassio, soube que a crítica está dividida com relação à peça. Uns dizem que a adaptção está além, e outros, aquém. Você concorda? Como o público reage no teatro?
(08:49:49) Cassio Scapin: asas, a gente faz na verdade, não que se deva desprezar a opinião da crítica, mas não fazemos teatro pra nós mesmos, fazemos para o público. Se existem pontos discordantes, acho ótimo. Tem um grupo que quer ver a história bem contada, que é a primeira função do teatro. Respeito a crítica, neste trabalho também apoiou o trabalho dos atores, acho importante que surjam opiniões diferentes. É sinal que o espetáculo está vivo, só erra quem tenta.
(08:49:49) Lucas: voce sente-se um ator realizado, se não o que falta ainda para você se entir ?
(08:51:28) Cassio Scapin: Lucas, eu não me sinto um ator realizado e não sei quando vou me sentir. A cada trabalho que você faz vem a pergunta: será que vai conseguir fazer, vai ser aceito, etc? Quando era mais jovem era mais fácil e agora tenho me sentido mais inseguro. Considero que tenho realizado bons trabalhos com êxito, mas não realizado como ator.
(08:51:28) RafaelLuz: o q aconteceu com o projeto de gravação da opera de Carlos Gomes? Foi abandonado?
(08:52:09) Cassio Scapin: RafaelLuz, não. É uma ópera muito grande e que é pra excursionar pelo país. Está se levantando verba e isso ainda vai levar tempo pra se resolver.
(08:52:14) Dani: Cassio, eu admiro muito você e seu trabalho... Como posso manter contato com você?
(08:52:43) Cassio Scapin: Dani, posso te dar meu e-mail cassioscapin@uol.com.br vou ter o maior prazer em manter contato.
(08:52:43) JasãoRJ: No Rio, estamos com 3 ou 4 versões de Medéia sendo montadas, no momento, mais umas 2 em Sampa. A que vc credita essa febre de Medéias?
(08:54:27) Cassio Scapin: JasãoRJ, pois é. Alguma coisa tá acontecendo. Acho que o artista em geral tem uma antena ligada um pouco insconcientemente no que tá acontecendo. Todas essas Medéias tem sentimentos de inveja, ciúme, vingaça, matam o filhos. São questões que pairam no ar. É um tempo de Medéias e de Jasões. E as coisas vão se materializando para a realidade que a gente não percebe direito.
(08:54:28) Baboo: grande Cássio, como é contracenar com a Leona Cavalli?
(08:55:27) Cassio Scapin: Baboo, é ótimo! A Leona é uma grande atriz, uma das melhores. Temos cenas difíceis. É uma honra contracenar com ela e é um prazer. Estamos lá na batalha de quinta a domingo.
(08:55:43) RafaelLuz: chegaram até a fazer um ensaio e de repente tudo foi por agua abaixo.....o q aconteceu com a opera?
(08:55:55) MarioViana: O que trabalhar com grandes atores (Paulo Autran, Rosi Campos, Sergio Mamberti e outros) ensina?
(08:56:20) Cassio Scapin: RafaelLuz, a gente fez testes com os cantores do coro também. Está se aguardando patrocínio.
(08:57:49) Moderador UOL:
Marcelo Favalli / UOL

O ator Cassio Scapin no Bate-papo UOL

(08:57:50) Donatello: Cassio, vc se considera um ator caricato, por fazer personagens caricatos marcantes? Vc gostria de marcar como um papel de uma pessoa cotidina comum em uma teledramaturgia?
(08:57:56) Cassio Scapin: MarioViana, ah sem dúvida que ensina. São pessoas maravilhosas que tem uma experiência, uma carga de vida. Você não só aprende com grandes atores como outros atores jovens também. O frescor, o brilho no olho dos jovens atores trazem também coisas pra você. Acho que tem que estar desperto e aberto para o outro.
(08:59:25) Cassio Scapin: Donatello, depende do que se entende por caricato. O Nino não é uma caricatura, tampouco Santos Dumont. São personagens fortes. No teatro nunca fiz uma caricatura. Talvez isso que vc tenha visto na TV e chame por caricaturo. No teatro eu primo por não ter caricaturas.
(08:59:29) Gr@cinh@: VC ESTA CONTRACENANDO COM ROSE CAMPOS DE NOVO Q DA HORA EM......
(09:00:20) Cassio Scapin: Gr@cinh@, eu não estou contracenando com ela neste momento. A Rosi tá fazendo a novela das sete e eu no teatro. Não estamos contracenando. Adoraria voltar porque ela é ótima atriz e ótima pessoa.
(09:01:54) Cassio Scapin: Gostaria que todos fossem assistir Memórias do Mar Aberto no Teatro Sérgio Cardoso, de quinta a domingo, quinta, 20h, sexta e sábado (21) e domingo (19). Preços populares de R$10 e R$ 20. Espero todos lá.
(09:02:03) Moderador UOL:
Marcelo Favalli / UOL

O ator Cassio Scapin no Bate-papo UOL

(09:02:24) Moderador UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Cassio Scapin e a participação de todos os internautas. Até o próximo!
Hospedagem: UOL Host