UOL Bate-papo

7.825 salas abertas pessoas online 391.250 lugares

Bate-papo com convidados

BATE-PAPO COM Inezita Barroso - 19/09/2008 às 16h00

Apresentadora do "Viola, Minha Viola" (Cultura) conversa sobre um dos programas mais antigos no ar pela televisão brasileira. No papo, a cantora e folclorista conversa sobre as atrações da tradicional música de raiz que passaram no palco do programa em 28 anos de transmissões ininterruptas. Atualmente, arquivos em áudio e vídeo do programa passam por processo de digitalização para serem utilizados em homenagens aos compositores e intérpretes do gênero.

  • Ouça músicas de Inezita Barroso na Rádio UOL
  • Escute também clássicos da música caipira
  • Assista à íntegra da conversa:

  • Participaram do Bate-papo 691 pessoas


    (04:27:53) Inezita Barroso: As pessoas vão assistir a gravação do "Viola, Minha Viola" e ainda assistem em casa no domingo de manhã e as reprises aos sábados. O relacionamento com os fãs é fantástico, é uma coisa de muita amizade, muitos deles foram ao primeiro programa há 28 anos. Eles gostam tanto do programa que chegam por volta das seis da manhã e as portas se abrem para o público às 14h. É a platéia mais linda que conheço.

    (04:14:20) fer: Qual é o segredo para manter um programa a 28 anos no ar ?

    (04:28:40) Inezita Barroso: fer, é a simplicidade do programa, a música caipira é simples, vive da grande letra que tem, da grande música que tem e de seus diversos ritmos. Isto agradou muito o povo que queria ver tudo isso de perto, o auditório é lotadíssimo. Até sai briga quando chegam as caravanas, mas no final damos um jeito de apaziguar tudo.

    (04:14:04) Dona Ignes: Olá Inezita, parabéns pelo seu trabalho, como é atravessar gerações apresentando duplas caipiras consagradas e novas duplas do cenário caipira ?

    (04:29:32) Inezita Barroso: Dona Ignes, é muito bom, as consagradas já são bem conhecidas, todo mundo ama então procuramos colocar em quase todos os programas. E as crianças que estão vindo, orquestra de viola com muitas crianças, todas interessadas. E não é só gente que nasceu na roça, é gente da capital. Está crescendo o número de telespectadores de menos de 15 anos.

    (04:30:43) Inezita Barroso: Sobre a música regional, ela nunca morreu nem vai morrer, estava guardada dentro das pessoas. Mas como ridicularizavam muito caipiras, tudo que era feio era caipira, eu briguei a minha vida inteira para tirar esta idéia da cabeça do povo. E graças a Deus estou conseguindo agora. E através das crianças muito mais. Nas escolas não se ensinavam nada de música, diferente do meu tempo que tinha teoria, canto orfeônico e os hinos do Brasil. Isto tudo sumiu por uma época muito longa. E este pessoal que passou por este buraco não sabe cantar o hino nacional inteiro. Só quer ver coisa nova.

    (04:14:46) Bruno Curci: Gostaria de saber da Inezita a opinião dela sobre a invasão de novos instrumentos na música raiz.

    (04:31:52) Inezita Barroso: Bruno Curci, brigamos muito para não deixar os instrumentos moderninhos, digamos assim, na música de raiz porque fica uma coisa muito igual, assim iguala os ritmos e os sons, então fazemos questão de ter a viola, o instrumento mais tradicional e lindo do Brasil que vem desde a sua descoberta. Mas às vezes as duplas são de mocinhos que dizem que está na moda. Mas a viola não vai sair da moda nunca.

    (04:33:03) Inezita Barroso: A diferença entre música caipira e a sertaneja é profunda, são dois estilos, dois trilhos que caminham paralelos e que não vão se encontrar nunca. Não sei qual dos lados vai acabar primeiro, mas acho que não é o nosso. Nós exploramos os ritmos caipiras que sumiram um pouco, as danças caipiras, a parte folclórica ligada a esta música de raiz, então não é uma coisa que se ouve e joga no lixo. Tem músicas que se puder cantamos em todos os programas, como "Tristeza do Jeca" e muitas tradicionais.

    (04:14:44) Bruno Curci: Oi Inezita, gostaria de dizer a você que ao longo dos meus 23 anos, aprendi a preciar a música caipira e o seu trabalho. Eu tive a oportunidade de estagiar por 1 ano na TV Cultura e pude aprender muito com você. Teamo e obrigado.

    (04:33:31) Inezita Barroso: Bruno Curci, que beleza, amamos você, apareça sempre por lá.

    (04:38:13) Geovanna/UOL:

    Inezita Barroso canta e fala de seu "Viola, Minha Viola" no estúdio do UOL (Flavio Florido/UOL)

    (04:14:34) Ariel Rodrigues: ola inezita... acompanho vc desde pequeno tenho 19 anos mais adoro musica de viola ... até canto muscas e tua composição.. queria saber como é o gra de responsabilidade de apresentar um programa tao especial e q se manteve tanto tempo no ar?

    (04:35:27) Inezita Barroso: Ariel Rodrigues, é muito gostoso, primeiramente é a melhor coisa da minha vida. Desde que comecei a fazer o "Viola" decidi não largar nunca, até onde ele for estarei junto. O que pega mais o povo é a simplicidade, não tem coisas mirabolantes, porque o caipira não é isto. No máximo dá para se pôr um fogão de lenha lá atrás, então usamos estes elementos que ainda existem.

    (04:36:18) Inezita Barroso: O fogão a lenha fala mais perto de mim, talvez pela idade, pela frequência que tive nas fazendas de tios. Isto para mim é o centro da cultura caipira, é ali que conversávamos, tocávamos. Aquele friozinho, aquela lenha acesa e todo mundo ali sentadinho. A cozinha é o lugar mais importante da fazenda.

    (04:23:33) fac: Angela maria elegeu a musica Gente Humilde como seu grande sucesso e qual é o seu?

    (04:36:48) Inezita Barroso: fac, tenho dois, "Lampião de Gás" elogiando São Paulo, uma recordação muito triste, e a "Moda da Pinga" que não desgruda mais.

    (04:15:02) POETISA: Querida INEZITA em primeiro luga quero dizer que adoro vc INEZITA 28 anos é uma vida e vc sempre com este sorriso lindo o que faz trabalhar com este carinho que vc demostra?

    (04:37:51) Inezita Barroso: Poetisa, é que o carinho é verdadeiro, o público tem muito carinho por nós e a toda hora nos param para perguntar coisas. Recentemente estive em Santa Catarina e quando começamos a fazer o show todo mundo cantava junto todas as músicas, foi uma surpresa para nós. Se eles gostam deste jeito temos que amar este público diferente.

    (04:25:55) soce50: Inezita, fale-nos um pouquinho do maior de todos (o inigualável Tião Carreiro)

    (04:39:58) Inezita Barroso: soce50, a lembrança que tenho do Tião Carreiro é muito bonita. Às vezes ficava bravo e carrancudo, mas é tudo bobagem, por dentro era uma seda. Ele me travava como uma filha. Eu tive a glória de fazer a última entrevista com ele antes de falecer. Foi uma coisa muito interessante, pois ele tinha ido buscar a sua viola não sei de onde, a viola querida, pequena, na capa. Eu estava fazendo um programa na rádio Cultura AM e ele sentou no estúdio já muito abatido, estava quase no fim. Conversou comigo, a gente falando de música e de viola e de repente deu uma coisa nele que tirou a capa da viola, botou no colo, cantou e tocou. Fico louca porque tem gente que diz que aquilo foi montado. Mas não digam isso, pois foi ali que ele botou o seu coração na mesa para mim. Uns dias depois ele faleceu. Chorei muito porque ele foi uma criatura maravilhosa, sem falar na parte artística que foi divina, a viola dele era diferente, podia tocar no escuro sozinha que se reconhecia.

    (04:41:24) Geovanna/UOL:

    Inezita Barroso canta e fala de seu "Viola, Minha Viola" no estúdio do UOL (Flavio Florido/UOL)

    (04:30:02) frank sinistro: O que é a "legítima música caipira de raiz"? Qual é o espaço para o surgimento de uma nova música do campo?

    (04:42:08) Inezita Barroso: frank sinistro, anteriormente o campo sempre teve maior atividade, uma das glórias da música raiz é estar ligada ao folclore brasileiro e ter a idade que tem, pois a viola chegou aqui com os jesuítas. Quando os índios ouviram o som da viola ficaram maravilhados e os jesuítas começaram a catequizá-los por meio da música. Isto é lindo em nossa história. Daí começou-se a fazer viola com canivete. Com tudo isso nasceu esta música raiz que é ligadíssima ao nosso folclore, pois é usada nas folias de reis, nas folias do divino, nas catiras... É uma coisa muito linda, outros instrumentos como sanfona e cavaquinho vieram depois. A viola foi a pioneira. Inclusive o violão, respeitam tanto a viola que quando tem uma dupla caipira o violão não toca.

    (04:31:21) Valmor: Inezita a senhora não acha q as musicas sertanejas de hj estão mto fora do q realmente é a música caipira?

    (04:42:35) Inezita Barroso: Valmor, não tem nada a ver, é um estilo de música inventado que não é tradicional de lugar nenhum, uma coisa de jovens que envelheceram um pouco. Mas aquela que está guardada aqui dentro é caipira.

    (04:32:11) Osborne: Vc deu aula na Universidade de Mogi das Cruzes. Qual a importância do contato com a juventude na tua vida?

    (04:45:00) Inezita Barroso: Osborne, é maravilhoso, continuo dando aula na Unicapital na Mooca, volta e meia encontro alunos. Estou lá há 22 anos. Já o público mais velho é muito comedido, principalmente o da roça, é muito quietinho. Ganho muitos presentes, cada programa vou para casa com duas malas e guardo tudo.

    (04:27:33) Fernanda neta Inez: E a neta da Inezita que esta escrevendo. Fernanda Barroso. Vo, voce esta recebendo minhas mensagens?

    (04:33:34) Fernanda neta Inez: Vo, entrei aqui no bate papo so para deixar um beijo grande e dizer que sempre fui sua fa numero um! Ouco musica caipira aqui em Londres e todos adoram! Voce tem muitos fas aqui na Inglaterra!!

    (04:46:02) Inezita Barroso: Fernanda neta Inez, agora quem vai chorar sou eu. Venha logo para a gente comer aquelas coisinhas brasileiras que você gosta, pelo menos antes do Natal. Um enorme beijo, muita saúde e felicidades.

    (04:49:07) Inezita Barroso: O Joãozinho Tico-Tico que me acompanha sempre é o chefe do nosso regional no programa.

    (04:39:03) Roberto: Gostaria de saber se a senhora não pensa em voltar a fazer programas de rádio.

    (04:50:35) Inezita Barroso: Roberto, penso seriamente, estou a fim de fazer. Não gosto de fazer programa no estúdio por causa do ar condicionado, é um veneno. Pedia para o técnico baixar a temperatura, mas não podia, peguei uma rinite alérgica que custou para passar. Então saí e deixei o programa com o Muibo Cury que é muito competente e está levando o programa até hoje. Espero voltar em outras condições, que possamos gravar o programa em casa.

    (04:40:19) PORANGABA: QUANDO ESTÁ PREVISTO O LANÇAMENTO DO DVD "VIOLA MINHA VIOLA" VOLUME 2

    (04:50:55) Inezita Barroso: Porangaba, talvez em janeiro, tem que dar um espaço...

    (04:40:26) Oaxiac Odéz: Entre as muitas obras de nosso cancioneiro tem alguma sua favorita?

    (04:51:33) Inezita Barroso: Oaxiac Odéz, tem muitas porque canto desde criança. Tenho um repertório de mais de seis mil músicas na cabeça. Até o final do programa canto a que estou amando atualmente.

    (04:52:33) Geovanna/UOL:

    Inezita Barroso relembra os momentos mais marcantes dos 28 anos do "Viola, Minha Viola" (Flavio Florido/UOL)

    (04:41:53) Lili Mello: DENTRE TANTOS TALENTOS DA MUSICA CAIPIRA QUE PASSARAM PELO SEU PROGRAMA, QUEM DEIXOU MAIS SAUDADES?

    (04:52:47) Inezita Barroso: Lili Mello, são todos, tem gente muito boa e que ainda vai passar. Sou amiga de vários. Depois que estes senhores já se foram e que choramos muito, um deles que eu gostava demais é o Adauto Santos, fez letras maravilhosas e músicas. Trabalhou com o João Pacífico que era um doce de criatura. Todos eles. E agora estamos procurando trazer os "cobras" para o Natal, o Almir Sater, o Sérgio Reis e o Daniel que gosto demais.

    (04:53:23) Inezita Barroso: No Brasil inteiro tem coisas maravilhosas e não é só em música... O povo brasileiro é muito bom.

    (04:49:52) Botucatu.31.: Já tive algumas vezes na gravação do seu programa no teatro cultura, te considero um mito e uma figura importantíssima para o nosso folclore. Gostaria de saber o que a sra. acha da cultura raiz no Brasil?

    (04:54:41) Inezita Barroso: Botucatu.31., ela está há muito tempo bem abandonada por várias razões e modismos e muito fortemente por aquela história do "caipira". As pessoas precisam saber o que é o folclore desde o jardim da infância. Está em casa e ninguém liga para este assunto, fica ouvindo coisas que não é da idade.

    (04:50:57) Minguita: Muitas foram as emoções nessas quase 3 décados de "Viola MinhaViola" twm algum grande momento que você gostaria de destacar aqui?

    (04:56:09) Inezita Barroso: Minguita, teve vários, mas comigo foi em um tempo que cantei muito com o bando Flor do Mato, até escrevi um auto de natal e representamos metade no programa, foi muito bem. Depois em teatros, largamos a televisão com esta parte folclórica. Outra emoção muito grande foi ver uma orquestra de flauta doce de Mauá com crianças de sete a oito anos, como tocam...

    (04:50:33) dede: Inezuta, fale de sua musica poeira, que tanto ouço. Sem dúvida uma maravilhosa poesia.

    (04:57:25) Inezita Barroso: dede, "Poeira" é um sucesso do Duo Glacial. Houve um festival na extinta TV Tupi e eles venceram com esta música. Muito linda esta música com uma poesia maravilhosa. Quando vão para o programa todos pedem esta música. Eu gravei "Poeira" há muitos anos. Atendendo aos pedidos aí vai um pedacinho...

    (04:54:59) laranjal: Ola, seu programa ja levou muitas bandas de concerto ao ar. Qual é a importancia dessa união entre musica erudita e de raiz?

    (04:59:51) Inezita Barroso: laranjal, música é música e só tem dois tipos, a boa e a péssima. Para tocar no programa nós analisamos antes e pode ser qualquer coisa desde que toque uma música caipira. Eu amo a banda da Polícia Militar, canto sempre junto com eles. Temos um repertório lindo com esta banda, geralmente canto com eles "Canção do Expedicionário" que pouca gente gravou e é muito linda. Além de outras coisas como "Maringá", "Chalana", música boa de raiz.

    (04:58:50) mosquito: Inezita, quando eu a conheci pessoalmente vc estava aprendendo a tocar Harpa, agoara esta tocando?

    (05:01:31) Inezita Barroso: mosquito, foi um desastre, é muito difícil de conseguir uma. E eu consegui arrumar uma harpa paraguaia. Tive algumas aulas, cheguei a acompanhar "Índia". Mas foi uma faxineira em casa com um escovão e moeu a harpa. É um instrumento muito frágil, a madeira parece uma caixa de ovo. Então eu tiver que parar até conseguir outra harpa. Eu gosto muito da Perla que tem estado muitas vezes no programa, é uma pessoa fantástica, com uma encenação e uma voz linda. Com ela vou conseguir outra harpa para começar a aprender de novo.

    (04:59:21) Lina: OLá, Boa Tarde!!! Sou sua fã, tenho 25 anos e gostari de levar minha mãezinha a um show seu, mas não sei onde é gravado, vc poderia me indicar o local?

    (05:02:27) Inezita Barroso: Lina, as gravações são no Teatro Cultura que fica na avenida Tiradentes, todas as quartas-feiras. Mas é melhor você ligar para a produção para pedir para ir, assim faremos uma diferença para esta senhora.

    (04:56:25) Minguita: Você gosta somente de sertanejo ou aprecia também outros estilos?

    (05:03:43) Inezita Barroso: Minguita, eu gosto de música boa há muito tempo. Estudei piano, tenho três diplomas. Gosto de música erudita, amo Villa-Lobos, amo Bach. Fui a muitos concertos, estudei muito a música erudita. Gosto demais, mas cada tipo de música tem hora. Música péssima para mim é aquela mal tocada ou sem ritmo.

    (05:00:03) Danillo: Como a senhora começou a cantar????????

    (05:04:49) Inezita Barroso: Danillo, acho que já nasci cantando, nasci em um domingo de carnaval na Barra Funda e na porta desta casa estava passando o Cordão Casa Verde, foi o primeiro som que eu ouvi.

    (05:00:29) Cowboy: Gostaria de ouvir Chalana...

    (05:03:43) flavia: gostaria de ouvir Chalana .. eu assisto seu programa

    (05:05:15) Inezita Barroso: O Tico-Tico vai tocar "Chalana"...

    (05:06:22) Inezita Barroso: Ele abafa nos shows, o que tem de meninas apaixonadas cantando "Chalana" com ele.

    (05:05:16) Zeca: Gostaria de ouvir o Iarapurú

    (05:06:03) WAGNER-MATÃO: Inezita, qual é a música que ainda não gravou e que gostaria de gravar? Porque?

    (05:09:11) Inezita Barroso: Wagner-Matão, eu gosto de muitas músicas que ainda não gravei, uma que amo e vou pôr no próximo DVD será "Encontro de Bandeiras" sobre o final da Festa do Divino, da festa de Natal, dos Reizados, quando as bandeiras se cruzam em um sinal de amizade. É uma música muito linda.

    (05:05:56) guilherme: Inezita Barroso,mas uma vez estou aqui pra dizer que a minha TIA e sua fa a muito tempo. ela queria saber quando a senhora vem aqui no nordeste?

    (05:09:51) Inezita Barroso: guilherme, já faz um tempo que estou tentando, mas não está dando. Quero ir para o Nordeste para curtir e ficar vários dias. Talvez nas próximas férias. Estou querendo ir a muito tempo.

    (05:06:41) Rod: Cara Inezita, é verdade que a senhora, além de grande cantora e musicista e conhecedora da cultura de raiz de nosso país, é também formada em biblioteconomia?

    (05:11:06) Inezita Barroso: Rod, é verdade, esta história de biblioteconomia veio de muito longe. Quando eu tinha de oito a nove anos tinha os amigos da rua, aí resolvi fazer uma biblioteca na garagem de casa. Pedia os livros para as crianças que não queriam mais e lá alugávamos por 500 réis. Comecei muito cedo com esta história, mas a idéia de ficar trancada em uma biblioteca não dá.

    (05:11:53) Inezita Barroso: Eu continuo pesquisando, o folclore muda muito. Sempre acrescentam algo. Como não é parado tem que estar sabendo, rente àquilo para pesquisar.

    (05:08:59) Katia: Oi Inezita, tudo bem?. Trabalhei com você no programa em 2004, e to aqui no pra te dizer que adorooo vc e que tenho um grande carinho por vc sempre ta. Bjuuu Fica com Deus.

    (05:09:11) Ricardo: Inezita parabens pelo que vc faz pela verdadeira musica sertaneja

    (05:09:18) Lili Mello: Boa tarde Inezita, gosto muito do seu trabalho e sempre que posso vou a gravação do seu programa, cresci vendo vc na tv e te admiro muito! Parabéns

    (05:09:29) tia: hoje estou escrevendo para voce porque tenho uma grande admiração

    (05:09:35) Patricia: Oi a sra é maravilhosa! sou sua fã!

    (05:09:38) markus -palmas-to: Saiba que é um imenso prazer, ver vc com toda esta juventude dentro de sí, Você é a RAINHA da televisão brasileira...alguns dizem que seja a HEBE outros dizem que é a XUXA, más não resta nenhuma duvida que este trono é seuuuuuuu....

    (05:09:55) kriola: só para dizer que meus pais amam vc...parabéns pelo carisma

    (05:10:02) marcelo: Parabens Inzeita Barroso a Rainha e Mensageira da Musica Raiz

    (05:10:05) Ariel Rodrigues: Ola inezita!!! Boa tarde sou seu fã nº 1 viu ... aprendi a apreciar a musica caipira atravez de tua linda voz ... como é interagir e levar esse tipo de som nao soh para pessoas maisvelhas como tamben novas gerações? Grande bjo Ariel campinas

    (05:11:27) Vera Lúcia: Enfim, entrei apenas para deixar um abraço fraterno. Sou sua fã incondicional.

    (05:11:28) edna: DA MEU BEIJÃO PARA INEZITA PORQUE ESTOU NA USP E TENHO QUE IR EMBORA, TE AMO MUITO MULHER

    (05:14:38) Inezita Barroso: Para finalizar uma música que amo, "Boiadeiro Errante"...

    (05:17:04) Geovanna/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Inezita Barroso e de todos os internautas. Até o próximo!

    Hospedagem: UOL Host