UOL Bate-papo

7.825 salas abertas pessoas online 391.250 lugares

Bate-papo com convidados

BATE-PAPO COM Cris Poli - 24/11/2008 às 17h00

Apresentadora conversa sobre a quinta temporada do programa SuperNanny do SBT. Desde 2006 no ar, a educadora já ajudou a resolver os problemas de aproximadamente 50 pais confusos com a educação de seus filhos.

  • Saiba mais detalhes sobre a 5ª temporada
  • Confira as fotos de SuperNanny
  • Dê sua opinião sobre o programa
  • Assista à íntegra do Bate-papo:
  • Participaram do Bate-papo 2211 pessoas


    (05:08:05) manu: oi

    (05:08:12) mila: olá!tudo bem com vc?

    (05:08:21) Octávio: Cris Poli boa tarde!

    (05:12:51) Cris Poli: Boa tarde a vocês...

    (05:08:30) keka: Olá Cris! Quais as novidades dessa temporada?

    (05:14:34) Cris Poli: keka, nesta quinta temporada tem bastante novidades com respeito às famílias, às suas histórias. Sempre buscamos famílias com um histórico diferente para apresentar situações diferentes. Nesta quinta temporada fomos para Florianópolis e Recife. São mães que educam os filhos sozinhas. Tem uma mãe que ficou viúva muito nova. Procuramos achar famílias com histórias diferentes para dar exemplos diferentes ao telespectador. Também tem a mudança das roupas e cenários. Quando viajamos tem esta coisa da novidade como os sotaques diferentes. Procuramos oferecer métodos que as famílias que estão assistindo possam se identificar e poder aplicar em casa.

    (05:15:23) Cris Poli: Sobre a seleção dos participantes: As famílias se inscrevem pelo site do SBT e passam por várias de etapas de seleção. Primeiro preenchem um formulário e depois passam por diversas entrevistas. Eu acompanho todo este processo de seleção. As famílias não têm contato comigo até entrar na casa. É um fator surpresa, aquela coisa do primeiro encontro comigo. Mas elas passam por um processo bastante criterioso.

    (05:15:54) Cris Poli: Eu tenho todo um acompanhamento da família, com os seus problemas, estudo tudo isso e vejo o que precisa ser feito com os pais e as crianças. Vejo qual o contexto da família para dar soluções para resolver os seus problemas.

    (05:09:53) bruninha: Cris, gostei muito do novo cenário, parece de histórias em quadrinhos. Quem cuida desse tipo de detalhe no programa??

    (05:16:24) Cris Poli: bruninha, é a cenografia do SBT que cuidam desta área no programa. Tem diretor geral que dá as idéias e a cenografia se encarrega disso. É lindíssimo.

    (05:10:07) 1berto desespero: me ajude...meu filho de 2,5 anos tem um comportamento mt repentino, ele sai da calma prum estado agitadissimo..pensei em levá-lo em um neuro pediatra...PS. sou seu fã..abç...me responda porfavor..bj

    (05:18:55) Cris Poli: 1berto desespero, é difícil poder dar uma solução sem conhecer a criança e o ambiente familiar. Pois esta ajuda que damos às famílias tem todo um processo que começa não somente na seleção destas como na visita e na observação das famílias. Isto é muito importante para conhecer a dinâmica de cada casa, o que está acontecendo, qual o relacionamento desta criança com o pai, com a mãe. Tudo isto me dá um suporte para saber o que propor a eles. Então é difícil dar uma ajuda apenas sabendo isso. Mas consulte o pediatra que poderá encaminhar para um neuro pediatra para acompanhar. A única coisa que posso falar é que com dois anos a criança já entende o que são regras, disciplina e cantinho da disciplina. Você pode fazer comportamentalmente colocar regras e usar o método do cantinho da disciplina que é uma advertência para fazer a criança pensar e refletir sobre o que ela desobedeceu. Isto é uma coisa geral que dá resultado. Com crianças mais espertas pode-se aplicar este método um pouco antes.

    (05:20:45) Cris Poli: Há uma rejeição natural das crianças ou de qualquer ser humano com qualquer coisa que comece com "não". Obtemos resultados muito bons com o reforço positivo que é estimular o positivo, premiar, recompensar, agradar a criança e estimulá-la para o positivo. Isto dá muito mais resultado do que dizer não. Então em vez de dizer "não faça tal coisa" diga "vem filho e faça tal coisa", isto é, oferecer outra opção em vez daquela em que você não quer que ele faça. Pois muitas vezes ficamos só no "não", "não faça tal coisa", isto não oferece outra opção. Por exemplo, o grande problema hoje em dia é com o videogame. As crianças ficam horas diante do videogame e os pais ficam desesperados. Daí cortam o videogame, mas não oferecem outra coisa tão legal o quanto.

    (05:13:06) Casal Desesperado: cara amiga Cris Poli, somos seus fãs. Gostaria que nos ajudasse. Temos 2 filhas de 3 e 7 anos. Estas passam o dia brigando. Tentamos dar conselhos, castigos e nada adianta. Oque fazer? Por favor nos ajude.

    (05:23:09) Cris Poli: Casal Desesperado, eu teria que observar e ver quais são estas brigas. Mas brigas entre irmãos são coisas comuns, isto acontece e faz parte do método de ajuste entre um e outro com a família. Tem que ser observado para saber que tipo de brigas são como brigas com violência, com muita agressão ou briguinhas por brinquedos ou ciuminhos. Muitas vezes estas brigas são consequências do ciúmes. O ciúme é uma linguagem não verbal das crianças que indicam que estão carentes em alguma área. Isto se resolve dando uma atenção individual a cada uma das filhas. Uma com a mãe e outra com o pai alternando os dias para que cada uma seja uma filha única em alguns momentos do dia. Tem que dizer que as ama, que são importantes, demonstrando todo este amor que os pais tem de maneira individual.

    (05:14:06) Octávio: E a paciencia Nany,é dificil lidar com crianças indiciplinadas?

    (05:24:08) Cris Poli: Octávio, para você educar um filho ou uma criança em geral, no caso dos professores, se aprende na prática, o que é necessário muita paciência e, no caso dos pais, se não tem é necessário tirar de algum lugar para poder educar os filhos. É fundamental paciência, perseverança, consistência e muito amor.

    (05:25:22) Cris Poli: Quando falo de paciência é paciência para educar o filho colocando limites, mostrando o que está certo ou errado, elogiando o que está certo. Não estou falando de ser um pai permissivo que é abrir mão da responsabilidade de educar um filho, ou seja, deixar ele fazer o que quiser para não perturbá-lo. A paciência é colocar limites e regras todos os dias, esteja você cansado ou não, feliz ou chateado.

    (05:16:52) Karina: Oi Cris. Gostaria de saber qual a melhor idade pra tirar a fralda na hora de dormir.. existe alguma "técnica" pra isso??

    (05:27:46) Cris Poli: Karina, vou te falar a minha experiência, tenho três filhos, quatro netos. Mas o momento de tirar a fralda tem que ser escolhido de acordo com a maturidade da criança que vem por volta dos dois anos. Se a criança não estiver madura será complicado tirar a fralda e não dará certo. A criança está madura quando ao acordar de manhã a fralda não está molhada. Fiz isto com os meus filhos que estão fazendo com os filhos deles. Tira-se a fralda totalmente durante o dia e a noite. Pois é muito confuso para uma criança entender que de dia não pode fazer xixi nas calças e de noite pode. Isto é muito confuso para as crianças. Então tem que esperar a maturidade das crianças por volta dos dois anos ou dois anos e meio e tirar de uma vez a fralda. Tem todo um procedimento que é adequado e que facilita a tirada de fraldas.

    (05:16:52) pedro_interlagos: boa tarde Cris tudo bem? me diga o que mudou pra voce depois do sucesso de super nanny?

    (05:29:01) Cris Poli: pedro_interlagos, mudou muita coisa, a minha vida mudou completamente. Eu era uma educadora que trabalhava na escola tranquila e de repente virei uma pessoa pública que tem que escolher para onde e ir e quando sai tem que dar autógrafos etc. Perde-se um pouco da privacidade, mas tudo o que recebo é com muito carinho, isto compensa.

    (05:17:55) Márcia: Cris, parabens pelo seu trabalho. Qual é a maior dificuldade q vc encontra nesse trabalho?

    (05:30:11) Cris Poli: Márcia, a maior dificuldade é a falta de autoridade dos pais e a falta de limites das crianças. Os pais têm medo de dizer "não" para os filhos, de assumir a autoridade que eles têm, acabam delegando bastante a autoridade para outras pessoas, como escolas, babás e avós. Claro que os pais precisam de ajuda, já que trabalham fora, mas não se pode delegar autoridade. Isto não pode ser feito, a autoridade e a responsabilidade da educação dos filhos são dos pais.

    (05:18:11) edu: Oi Cris. Tenho um filho de 5 anos que sai da cama dele toda noite e vem para o meu quarto. O que eu devo fazer para acabar com essa situação?

    (05:31:53) Cris Poli: edu, esta situação é muito comum. E não é basicamente um problema das crianças, mas dos pais que não sabem colocar um fim adequado a situação. Tem que levar a criança ao seu quarto e o pai tem que ficar ao seu lado até ele pegar no sono. O que acontece é que os pais abrem mão disto e a criança fica sabendo que insistindo vai conseguir o que quer. Tem que levar o filho quantas vezes a sua cama que for necessário até ele entender que isto não funcionará.

    (05:20:24) pedro_interlagos: vc ja pegou algum caso que te fez pensar em desistir?

    (05:33:05) Cris Poli: pedro_interlagos, não, tem casos difíceis. O que muda bastante são as histórias das famílias, mas os problemas são muito parecidos. Famílias com mais crianças são mais complexas, tem um leque muito grande e tem que oferecer soluções para todos eles. Dá mais trabalho, mas nunca me fez pensar em desistir.

    (05:35:16) Cris Poli: Um caso que teve algumas dificuldades de uma família com quadrigêmeos na primeira temporada. Também outro caso muito difícil foi quando eu entrei, o casal estava em processo de separação e isto estava afetando muito o menino de 11 anos. A sua irmãzinha de quatro anos era completamente alheia ao processo, mas ele sofreu muito. Graças a Deus que se conseguiu resolver, o relacionamento entre a mãe e o menino melhorou também. Nesta quinta temporada teve um caso difícil também, pois a mãe ficou viúva muito nova e a presença do marido era muito forte antes de morrer, ela entrou em depressão etc. São casos que pelo histórico da família tem uma dificuldade e mexem muito conosco.

    (05:20:35) oberon: gostaria de saber se após a familia participar do programa existe algum tipo de acompanhamento p saber se realmente houve uma mudança no comportamento familiar

    (05:36:15) Cris Poli: oberon, o programa não tem esta proposta de fazer um acompanhamento, mas continuamos com o contato devido ao vínculo que temos, acontece de uma forma natural. Podemos dar conselhos, mas isto não faz parte do programa.

    (05:24:22) kkl: já houve casos em que a familia não concordou com seus metodos e pediu pra sair do programa?

    (05:37:15) Cris Poli: kkkl, houve um caso em que a mãe não concordou comigo e eu fui embora. Ela discordou de tudo o que eu disse e eu disse que não havia mais nada a ser feito. Houve um caso em que a mãe acabou não cumprindo aquilo que eu ensinei e não deu tão certo, pois o casal estava com muitos problemas de relacionamento.

    (05:39:00) Cris Poli: Um conselho para os pais no momento da separação é que sejam sinceros com os filhos. Outra coisa, têm que sentar com eles e explicar qual a situação. O casal tem que fazer um acordo sobre a educação que vão dar para os filhos. Pois é muito comum a criança ficar com a mãe e ela terá a responsabilidade da educação colocando limites. E quando a criança fica com o pai no fim de semana ele deixa fazer tudo, já que é o único momento com a criança. Isto acaba criando conflitos entre o casal e uma mudança de comportamento nas crianças, o que é pior. A criança aprende a manipular um e outro de maneiras diferentes. Eu sei que este é o caminho mais difícil, mas tem que fazer de tudo para entrar em um acordo sobre o que querem com relação a educação das crianças.

    (05:27:59) Simone: A Sra. já fez este tipo de programa em outros países????? E como surgiu a idéia do programa????????

    (05:40:12) Cris Poli: Simone, eu não fiz em nenhum outro lugar, a idéia foi do SBT. Foi comprado este programa e a produção começou a procurar um profissional para apresentá-lo. Até concluírem que teria que ser um educador. Então passaram a procurar em escolas e assim me encontraram e deu super certo.

    (05:28:06) Bruno Gomes: existiu algum caso em que a criança nao a respeitou ou ja ate lhe bateu sei la....?

    (05:41:40) Cris Poli: Bruno Gomes, já teve crianças que tentaram me bater, que não me queriam em suas casas, isto é uma reação natural. Alguns são agressivos, mas nada demais. Precisei segurar um dos meninos, pois ele não queria ficar sentado na cadeira e como ele fazia aula judô me chutava, eu tive que segurá-lo para não me bater.

    (05:44:10) Cris Poli: A agressividade das crianças sempre tem uma origem, um motivo que está dentro de casa. Pode ser uma porta que os pais abrem através do videogame, de filmes agressivos etc. Tem que ver de onde vem esta agressividade. Há uma agressividade natural nas crianças, mas não este extremo que vemos por aí. Os pais têm que ser firmes. As crianças têm que saber quem manda em casa, quem está no comando, pois o que eu tenho visto são crianças no comando das casas. O meu propósito com a criança é educá-la, por isso que uso a palavra disciplina em vez de castigo. Procuro discipliná-la para mostrar o que é certo e errado. O castigo pode indicar o meu mau humor, o que é muito mal para a criança e não educa. O adulto tem que ser consistente, ser firme, colocar regras, saber o que quer para o filho. E discipliná-lo, porque na Bíblia tem um versículo que diz que deu disciplina porque lhe ama. Então nós disciplinamos os filhos porque os amamos.

    (05:29:20) Robson_SP_: Cris, boa tarde, meu filho tem só 45 dias e minha maior preocupação é educalo bem para que possa respeitar as pessoas de forma educada e gostaria de saber se desde já a forma com que eu educo já começa a definir a personalidade dele, devo tomar cuidado?

    (05:46:57) Cris Poli: Robson_SP_, nesta fase de seu bebê é muito importante a atitude que você começará a ter com ele. Porque as regras, os limites, a autoridade, começa tudo nesta idade. De zero a sete anos é quando se coloca as bases para a personalidade de um ser humano. Até o período dos sete anos já é possível colocar os limites como horários para dormir, mamar, trocar, tomar banho. Se a criança faz manha tem que mostrar para ela o que você aprova ou não, pois ela entende sim. Leia o meu livro "Filhos Autônomos, Filhos Felizes".

    (05:31:55) pink: cris tenho um irmão que é uma briga para comer, quando come é mutio pouco.o que podemos fazer?

    (05:48:24) Cris Poli: pink, quando a criança come pouco durante uma refeição ela acaba comendo qualquer coisa entre as refeições. Toma sorvete, chupa bala, assim não vai ter fome mesmo. Tem que tirar estas guloseimas entre as refeições. E dar o prato de comida na hora da refeição, se não comer tirar o prato sem brigar com ele e não dá mais nada. E só dê o prato de comida na hora da próxima refeição.

    (05:32:34) bob: Cris qual é a melhor forma de conseguir a obediencia de uma criança de 7 anos q se descontrola quando ouve não?

    (05:49:51) Cris Poli: bob, tem que colocar regras e explicá-las às crianças. Se as desobedecer pode aplicar a advertência e o cantinho da disciplina. Em dois ou três dias eles já entendem e a partir daí ele ficará na advertência.

    (05:33:31) Cris: Boa tarde Cris Poli, tenho um filho de 4 anos. Vivo com minha avó, minha mãe e uma babá que esta em casa desde que eu tinha 2 anos, ou seja, foi minha babá e hoje é do meu filho. Ele é super mimado, pois elas fazem todos os desejos dele. Trabalho fora e quando chego em casa tenho que colocar a casa em ordem, pois eu sou a única a educa-lo... Já me inscrevi no programa, mas não fui chamada, o que eu faço?

    (05:52:27) Cris Poli: Cris, este é um problema sério. As mães trabalham fora e moram com seus pais. Tem que tentar conscientizar estas mulheres que estão junto com você do que elas estão fazendo com as crianças para deixar você assumir as crianças. A avó quer fazer de tudo pelos netos, mas tem que ter consciência de que está fazendo mal a eles. É uma questão de conscientização.

    (05:36:31) Luciano: Boa tarde Cris, tenho um filho de 2 anos, que toda vez que é contrariado, joga o que tiver na sua mão, no chão. O que devo fazer?

    (05:53:11) Cris Poli: Luciano, tem que colocar uma regra, se mostrar completamente contrariado quando ele faz isso para ir mudando o seu comportamento através do cantinho da disciplina. Tem que ser bem firme com ele.

    (05:38:07) layla: Voce acha que hoje em dia o mundo fora de casa influencia na educaçao da criança, escola amigos etc???

    (05:55:05) Cris Poli: layla, isso é inevitável, vai acontecer sempre. A educação em casa quando é bem estruturada, com valores e princípios coerentes, é mais forte que as influências externas. A educação continua sendo dos pais, é um erro delegar às escolas. É muito mais fácil jogar a culpa no outro do que assumir as responsabilidades.

    (05:39:01) dan: como faço para cumprir as regras sem paracer que foi só um castigo?

    (05:56:14) Cris Poli: dan, uma atitude sempre tem consequências, certa ou errada. Se agir errado e não respeitar a regra haverá uma consequência que será a disciplina. Se agir certo terá o carinho dos pais, o abraço etc.

    (05:52:32) FLAVIA MG: VC NÃO TEM VONTADE DE PÔR CERTOS PAIS NO TAPETE DA DISCIPLINA

    (05:57:43) Cris Poli: Flavia MG, muitas vezes, mas não coloquei. Quando se coloca regras para as crianças, elas entendem que é para toda a família e algumas já quiseram colocar os pais no cantinho da disciplina.

    (05:55:10) Paulinho: gostaria de saber qual q melhor idade para ensinar a criança a falar?

    (05:58:18) Cris Poli: Paulinho, é desde bebê, não tem idade para isso. Tem que conversar com ela desde que nasce. Primeiro irá ouvir muito e depois começará a tentar falar sozinha.

    (05:56:58) Nivea: Ja pensou em ter um programa voltado para adolescente c esse perfil ??

    (05:58:36) Cris Poli: já me pediram muito para fazer um SuperNanny teen, mas isto não está na proposta do programa.

    (05:59:48) Cris Poli: É mais difícil colocar regras para adolescentes porque eles já têm uma personalidade bastante formada. A adolescência é uma época de muita argumentação, que contesta bastante. Então é mais difícil. Sempre digo que é melhor começar tarde do que nunca. Tem argumentar bastante, ser coerente, bem claro. As regras para adolescentes são diferentes devido às necessidades serem diferentes.

    (05:58:21) Octávio: E os micos? Lembro de um quando vc caiu num buraco do sofá,kkk...já pagou muitos micos?

    (06:00:44) Cris Poli: Octávio, lembro mais deste caso mesmo, havia uma família almoçando, todos sentados a mesa e havia dois sofás, um ao lado do outro, mas ao sentar foi bem na junção dos dois sofás.

    (05:59:48) Cheyenne: Gostaria de saber se o metodo do deixa chorar ..pra manha acabar no berço é correto. Quais as consequencias que isso pode gerar no futuro?

    (06:02:16) Cris Poli: Cheyenne, não tem nenhuma consequência, se for manha mesmo deixe chorar. Criança faz muito isso, quando vê que está chamando a atenção ele acaba enfatizando isto. Se o ignorar ele vai parar de chorar. Tem que deixar chorar, pois crianças faz isto e um pouco mais para conseguir o que quer.

    (06:00:47) sandra: Como saber se um comportamento está deixando de ser apenas falta de limite ou um comprometimento maior, uma patologia?

    (06:04:00) Cris Poli: sandra, na verdade a falta de limites é uma falta que vem da parte dos pais. Os limites são colocados pelos pais. Se não forem colocados limites será criado um problema maior, a criança passará a achar que tudo pode. Ele irá pensar que em qualquer lugar aonde for poderá fazer o que quiser. Muitas das coisas que vemos hoje em dia na juventude, esta agressividade e violência são por falta de limites mesmo.

    (06:02:10) Mila: Já tentei colocar minha filha no cantinho da disciplina, mas ela leva na brincadeira, porque assiste na tv e acha legal que eu faça isso.

    (06:04:57) Cris Poli: Mila, muitas vezes este comportamento é um mecanismo da criança para desviar da disciplina. Você tem que ficar muito séria neste momento e não prestar atenção se a criança está dando risada ou não. As crianças muitas vezes usam isso como armas para desarmar os pais.

    (06:03:12) vivi: cris eu gostaria de sber como falar com minha filha de 4 anos sobre sexualidade, poii ela anda me fazendo mtas perguntas

    (06:06:50) Cris Poli: vivi, tem que responder de acordo com a idade dela e o que ela está perguntando. A criança tem curiosidade e pergunta, se você responde a altura do que ela quer saber ela se sentirá satisfeita. O que acontece é achar que tem que dar explicações mais profundas. Tem que responder de acordo com a idade delas. Os adultos não sabem como encarar isto. Tem que responder de maneira certa, simples e clara.

    (06:04:43) camila: gostaria de saber como agir na separacao do casal com a filha

    (06:08:28) Cris Poli: camila, tem que explicar o que está acontecendo e entrar em acordo com o pai da criança sobre a educação a ser dada a ela. Esta educação tem que ser equilibrada tanto quando está com a mãe ou com o pai. Sempre haverá dor da separação, de não ver os pais juntos, mas tem que tentar fazer da melhor maneira possível.

    (06:08:06) JUJUBA: meu filho de 3 anos e meio começou a morder e bater na babá e na irmã menor. o que podemos fazer ?

    (06:09:03) Cris Poli: Jujuba, tem que descobrir porque ele começou a bater e a morder. Tem que ser observado isto para saber a dinâmica da coisa, isto tem um motivo.

    (06:10:15) Cris Poli: Se você já tentou resolver os problemas comportamentais e nada deu certo, a melhor coisa é encaminhar para um terapeuta para fazer uma consulta. Às vezes as coisas são mais simples do que parecem.

    (06:08:50) roger: qual foi o episodio mais inusitado que você passou????

    (06:11:46) Cris Poli: roger, foram crianças que ameaçam os pais com facas ou tesouras e eles recuavam diante disso. Eles não tinham autoridade para tirar uma arma da mão da criança. Isto foi incrível, não acreditei que isto pudesse acontecer. E estas mesmas crianças quando são contrariadas esfaqueiam sofás, quebram coisas. Imaginem esta criança quando chegar na adolescência. O que me deixou mais impressionada foi o pai recuar diante disso, mostrando uma falta de autoridade total.

    (06:12:57) Cris Poli: Os pais não podem ter medo de dizer "não" aos filhos. É melhor eles chorarem agora do que vocês chorarem depois quando eles forem mais velhos com as atitudes que eles podem vir a ter. Não tenha medo de dizer não as crianças, elas precisam se limites. Se vocês amam os seus filhos dêem disciplina e limites para eles. Muito obrigada.

    (06:13:04) Moderador/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Cris Poli e de todos os internautas. Até o próximo!


    Hospedagem: UOL Host